segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A história de dois jabutis que ficaram órfãos....finais felizes existem!!!



No meio do ano fomos procurados pela filha de um casal de idosos que haviam falecido e eram os tutores de Hulk e Jurema. Ela havia chegado até nós por indicação de uma velha amiga.
E como temos que procurar saber a procedência destes animais pedimos que nos contasse como foram adquiridos.

Apesar da história quase trágica do Hulk, ambos tinham tido um boa vida, eram sortudos. Viveram uma vida cercada de carinho e cuidados até que seus donos deixaram essa dimensão.
Isso tem e deve que ser levado em conta quando se adquire animais que podem viver muito mais que nós. Idade média de jabutis costuma ser por volta de 80 anos, podendo atingir 100 anos. 

A Jurema tinha cerca de 50 anos e havia sido comprada pelo casal em um tempo que não existia restrição ao comércio de silvestre ou sequer se ouvia falar em Ibama.
O Hulk, idade estimada 70/80 anos, foi resgatado de um lixão, isso mesmo....alguém havia descartado ele em um aterro sanitário.
Encontrar alguém que tenha uma boa situação financeira e emocional para adotar de forma responsável e dar a estes animais boas condições de vida,  é só o que temos que ter em mente para poder fazer uma escolha que venha de fato beneficiá-los. E graças a Deus temos certeza de que foram super mega bem adotados.
A pessoa que os adotou se preparou para adaptar um espaço que tinha no quintal para recebe-los, pesquisou para conhecer os hábitos dos quelônios, e também os levou ao veterinário para fazer uma avaliação logo após a adoção.

Mas isso só foi possível graças a união de várias pessoas que se sensibilizaram com o caso do Hulk e da Jurema. Nossa gratidão a todos os envolvidos na ação.
Tomara que todos curtam a história do casal de jabutis que graças a uma rede de amigos encontrou um lugar para viver em segurança, após terem perdidos seus antigos tutores.
Acreditamos que é nossa função também inspirar outras pessoas para que saibam como conduzir situações como essa.
Não é necessário fazer nenhum curso de pós graduação para se ajudar um animal em situação de risco, abandonado ou que tenha ficado órfão. Basta ter sensibilidade e vontade de fazer o bem.
O que você vai receber em troca? a sensação de ter feito algo por um ser vivo e ter certeza de que ele lhe será grato eternamente.

Assistam abaixo o vídeo deles assim que chegaram no jardim onde passaram a morar.

video

Nota:
Não nós não cogitamos procurar o Ibama para entregá-los. Caso alguém venha nos questionar porque não fizemos isso, o motivo é simples. 
Já que nem os jabutis que estão sendo vendidos neste momento na feira do rolo lá na zona leste de São Paulo http://goo.gl/hg6rQ0  são protegidos por este órgão sucateado e falido  como vamos entregar animais que já estão vivendo em contato com humanos há décadas?
E este órgão chegou a essa situação porque o atual governo não tem o menor interesse em estruturar ou mesmo dar condições para que este órgão possa atuar em território nacional. 
Uma grande vitória para os traficantes e comerciantes ilegais de silvestres no Brasil.
Não somos e jamais seremos favoráveis ao comércio de silvestres, mas se os animais um dia foram adquiridos (e isso no Brasil é bem mais fácil do que comprar pão na padaria da esquina) e de repente precisam de um novo lar o jeito é a gente se esforçar para dar a eles o melhor que pudermos. Essa é a função de quem luta para ajudar e defender os bichos.

Reafirmamos que lugar de silvestres é na natureza, longe do homem, vivendo em seu habitat e convivendo em harmonia com seus semelhantes e este será sempre um caminho a ser seguido por quem luta verdadeiramente pelos bichos.

E para quem quiser entender mais sobre estes cascudinhos sugerimos este ótimo blog 
http://goo.gl/ejWu2o
 







Um comentário:

  1. Parabéns! Muito bom o texto e a ação dos envolvidos!
    Continuem Iluminados!

    ResponderExcluir