quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Nunca irrite uma orca!!! Vídeo mostra acidente quase fatal com treinador do SeaWorld.



Sim somos e sempre seremos contra qualquer tipo de confinamento e exploração de animais para diversão de humanos.
Sejam eles cetáceos ou não. Já publicamos muitos materiais aqui onde nos posicionamos contra a captura e a manutenção de animais em zoológicos, jaulas, gaiolas, tanques e aquários.
O SeaWorld vem perdendo patrocinadores e suas ações na bolsa estão despencando.
As legislações virão com certeza como é o caso da Califórnia, maravilhosa precursora de novos hábitos e de posturas de vida que visam sempre avançar, jamais retroagir.
Não há a menor dúvida de que a vida de golfinhos e baleias em tanques é cruel, desnecessária e sobretudo fora de moda já que hoje se toma conhecimento cada dia mais da forma como são mantidos os animais nestes locais.
Após a morte da treinadora americana Dawn Brancheau, pela orca Tilikum algumas alterações foram feitas para diminuir os acidentes, porém o fato de que estes animais em um determinado ficam agressivos demonstra claramente que eles estão estressados com o confinamento, o barulho, a condição de vida dada a eles e os constantes estímulos da platéia e dos próprios treinadores.
Para os que ainda não assistiram um vídeo de 2006 que mostra isso claramente e que embora um pouco antigo tem que ser publicado sempre.
Com certeza se o treinador não tivesse um grande auto controle adquirido ao longo de anos e anos na função jamais teria sobrevivido. Notem o tempo em que o treinador Ken Peters permaneceu submerso e que se a orca Ksatka quisesse teria o matado com certeza.
EsquadrãoPet




Abaixo uma carta da Sea Shepherd enviada a direção do SeaWorld em agosto de 2014.

Caro Sea World,

Seus estoques estão se esgotando dia por dia. Você está sangrando financeiramente diante da estreia e do sucesso do documentário “Blackfish” e, mais importante ainda, o público está percebendo que o confinamento de inteligentes cetáceos em cruéis e pequenos tanques forçando-os a se apresentarem é errado. Os efeitos e conscientização provocados pelo filme continuam a deixarem suas marcas, é melhor seguir em frente – e encontrar uma melhor forma de utilizar e aplicar seu dinheiro – do que construir, utilizando centenas de milhares de dólares, maiores tanques para as Orcas.
Como uma companhia responsável pelos cuidados aos animais, ao dar qualquer passo, vocês deveriam se perguntar: “Essa mudança será melhor para os animais? Eles querem isso?”, disse o fundador da Sea Shepherd, Capitão Paul Watson. Sim, tanques maiores, dar para esses animais mas um quarto para que possam nadar, seria, sem sombra de dúvidas, uma melhora para suas vidas. 
Se eles pudessem falar na nossa língua, as Orcas provavelmente concordariam com tal mudança, desde que está fosse a única opção.
Contudo, temos certeza de que – mais do que qualquer tanque em que elas estão agora ou um tanque maior – as Orcas prefeririam o oceano. Elas, certamente, preferem a vida à qual lhe é normal e natural, ou uma vida o mais próximo possível de suas vidas naturais. Por que razão elas não gostariam de ficar no ambiente natural, em suas casas? E por quanto tempo elas ficarão presas em tanques minúsculos enquanto os maiores são construídos?
Enquanto planejam os tanques, mantenham em suas mentes que a opinião pública continua sendo influenciada com cada vez mais pessoas que param de apoiar o a indústria aquários de animais marinhos – que mantém a caça em todo o planeta e promove massacres, entre eles em Taiji, Japão. 
Lembrem-se também de que seus colegas do Aquário Nacional de Baltimore estão considerando fecharem a exibição de golfinhos e liberta-los em diferentes ligares nos oceanos em resposta à opinião pública e pelo fato de se preocuparem com o bem estar animal. Vocês também tem a oportunidade e a possibilidade de fazerem o que é correto para com os animais por vocês “cuidados”, vale a pena ressaltar o exemplo a ser seguido uma vez que o Sea World é a maior companhia de parques marinhos.
Por favor, considerem também, já que planejam iniciar as reformas em San Diego, que foi proposta uma nova legislação na Califórnia proibindo shows e exposições de Orcas. 
O parque Vancouver, recentemente, baniu a reprodução “induzida” de baleias e golfinhos no Aquário de Vancouver, e mais exemplos virão. Os tempos estão mudando e vocês devem adequar o negócio de vocês ao momento. O Sea World irá sobreviver a essa mudança no pensamento da sociedade?
A Sea Shepherd pede encarecidamente a vocês que tomem a decisão mais lógica, correta e apropriada – libertem as Orcas. Apenas aumentar o espaço não modificaria a rotina desses animais, existe uma escolha bem melhor. Dessa forma elas poderiam ter mais paz – sem paredes de concreto, sem mais apresentações forçadas e rotineiras e sem música alta e uma platéia as assustando. Imagine-as vivendo com espaço para alongarem seus imensos corpos, sentindo as correntes dos oceanos e a água salgada natural.
 De uma vez por todas, é hora de vocês pararem de se perguntar: “O que aumentará nosso lucro?” e começarem a se perguntar: “O que é melhor para as baleias?”

Cordialmente,
Sea Shepherd Conservation Society

Tradução: Igor Ramos, voluntário ISSB


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Assistam ao reencontro emocionante de um bode e um burrico - Mr. G e Jellybean.


Qual de nós não gostaria de ter um amigo assim!!!
O bode foi levado a um santuário e foi separado de seu amigo burro.
Ficou "deprê"....não queria comer, só lá no canto da baia, nem a luz do sol e a liberdade interessavam.....
Até que um voluntário resolve ir buscar o seu amigo....após dirigir por 14 horas ele chega...vejam só a alegria do bode ao rever seu melhor amigo!!!

video


Para conhecer a página destes dois amigos inseparáveis é só clicar aqui:
https://www.facebook.com/mrgjellybean
Essa é o site do Santuário em que vivem:
http://animalplace.org/




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Zoológico de Lujan. Animais zumbis e o turismo dos "sem noção".


Já há um bom tempo a divulgação de fotos feitas neste lugar vem nos incomodando e infelizmente apesar de termos pedido ajuda para dois especialistas em silvestres, um veterinário e um biólogo não conseguimos nenhum texto mais técnico para publicar.
Então resolvemos dar uma compilada em tudo o que tem sido publicado por aí para podermos tentar mostrar aos que pretendem ir até o tal Zoológico de Lujan o equívoco que é este passeio.
O chamariz do tal zoológico é a possibilidade de se tirar fotos com os animais ditos "selvagens" mas que na verdade não passam de zumbis que apresentam um estado letárgico o tempo todo.
Qualquer um de nós pode fazer uma busca pelo deus google para constatar que principalmente grandes felinos não toleram invasão de seus territórios, mesmo que ele se resuma seja uma jaula enferrujada e fétida e só isso já levanta sérias suspeitas sobre este lugar.
Casos recentes como o do Zoológico de Cascavel onde o garoto perdeu o braço e o da Índia onde um homem entrou na jaula de um tigre e foi devorado, são constatações mais do que suficiente do que estamos falando.

Foto/Facebook Cierre Urgente ao Zoo de Lujan
Localizado nos arredores de Buenos Aires, o zoológico foi inaugurado em 1994 e é mega frequentado por brasileiros, os argentinos pouco se interessam em frequentá-los.
E por incrível que possa parecer até "protetores" de animais já andaram divulgando fotos deste lugar posando sorridentes ao lado dos pobres bichos enjaulados, o que por si só já seria uma grande contradição, afinal quem afirma ser defensor dos animais jamais deveria pagar para vê-los confinados, sem a possibilidade de ter o mínimo de liberdade para poder exercer seus instintos naturais.
Apoiar locais onde fica evidente a falta de respeito aos animais, onde o confinamento e a exploração explícita dos mesmos ocorre descaradamente,  é a última coisa que um ativista da nossa causa deveria fazer. Não é mesmo "protetoras"?

Em alguns artigos já publicados em outros sites e blogs um deles nos chamou a atenção para as instalações do tal zoológico.
Segundo algumas publicações as instalações são bem precárias, sujas e mal conservadas. Confiram fotos abaixo feitas por quem está encabeçando a petição pelo fechamento do local na própria Argentina.
Muitos animais estão bem maltratados também conforme podemos observar nas fotos do próximo mosaico.

Foto/Facebook Cierre Urgente ao Zoo de Lujan
Observam se também animais domésticos convivendo com os exóticos (tigres, ursos e leões)  o que por si só já é um grande erro, já que os primeiros transmitem doenças para os segundos.
Colônias de leões estão sendo dizimadas na África, em um parque da Tanzania, por se contaminarem com cinomose, doença transmitida pelos cães.
Mas acreditamos que o pior de tudo é ver os turistas sem noção acharem normal animais adultos tomando mamadeira (é daí que vem a suspeita de que estão dopados), e feras babando de tanto dormir sendo utilizados para tirar fotos patéticas.
Todo tipo de exploração animal deve ser coibida, mas pagar entrada em um lugar destes é incentivar a continuidade de algo que basta ter dois neurônios para se perceber que tem algo muito errado por trás dos animais zumbis.
Encontramos também alguma agencias de viagem relatando a realidade deste local, citando que não é nenhuma paraíso.
Muito bom quando as pessoas conseguem enxergar além daquilo que tentam vender a elas.
Uma dessas agencias publicou um vídeo feito no zoo de Lujan que mostra claramente a situação. Uma imagem vale mais que mil palavras. Vejam o vídeo abaixo postado pela WeRockTour observem a situação da leoa tentando ficar em pé e tirem suas conclusões!!!
 
video

Nota:
Não importa se dopados ou não, o que não podemos mais aceitar é essa exploração que utiliza os animais para o lucro fácil seja em espetáculos circenses, aquários, tanques ou eventos.
Quem disse que os animais querem tirar fotos idiotas com turistas? 
Quem disse que eles não reagiriam se pudessem?
Nenhum bicho se sente feliz ao ser exposto como objeto, manuseado, manipulado, explorado, sem direito a uma vida onde seus instintos naturais possam aflorar.
O mundo está mudando e nessa busca por mudança a forma de enxergarmos os animais está passando por uma revolução apesar de muitos insistirem em chamar aqueles que lutam por elas de xiitas ou ecochatos. 
Os bichos não foram feitos para nosso deleite, nosso paladar, nossa vaidade, nosso domínio....eles foram feitos para serem apenas bichos.  

Existe uma petição pedindo para que este local seja fechado. Vamos dar uma força?
http://goo.gl/x76zzb

Se alguém quiser dar uma olhada em outras matérias interessantes sobre o zoo de Lujan sugerimos algumas abaixo:

http://goo.gl/h57ods  
http://bit.ly/RSsiK5
http://goo.gl/UYq2wm 













segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Conheçam o trabalho de Sabine Fontana - a protetora dos orelhudos.


Foto Pinterest
Já há alguns anos a gente acompanha o trabalho da Sabine Fontana, uma protetora que luta para conseguir lares para coelhos abandonados. Quando começamos a tomar conhecimento do abandono de coelhos que acontece todo ano logo após a Páscoa, foi através dos emails que ela divulgava nas listas de proteção, e assim começamos a ter um outro olhar para os orelhudinhos, como ela mesmo os chama.
É muito cruel saber que todos anos centenas ou talvez milhares de coelhos são abandonados em parques, praças e mesmo nas ruas de nossas cidades, sem chance alguma de sobreviver.
Através dela também pudemos acompanha a história de Flopinho, um coelho pra lá de especial que já virou anjinho e que segundo a Sabine, a escolheu para mudar sua história de vida.
Aqui o resumo da história dele http://goo.gl/qrpGAA

Assistam a entrevista que a protetora Sabine Fontana  deu ao Diário Catarinense.

video
 

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A armadilha do Lar Temporário!!! Um novo perigo na proteção animal.



Não é segredo para ninguém que o Facebook é hoje a mídia social mais utilizada pela proteção animal como meio de fazer apelos por resgates e para socorrer animais em situação de risco. Se por um lado isso é muito bom, também temos visto uma invasão de pessoas desconhecidas ou nem tanto oferecendo Lar Temporário.
E infelizmente aquilo que começou como sendo uma ação voluntária, sem que se cobrasse nenhum valor, visto que quem resgata, é que deveria cobrir os custos relativos aos cuidados necessários com seu protegido, hoje se tornou uma forma encontrada para se faturar uma boa grana.
Até aí tudo bem, desde que não tivessem desenvolvido um mercado onde se fatura muito e que nem sempre o bem estar e a segurança dos animais estão em primeiro plano.

Porque o Lar Temporário se tornou um novo problema na causa:

A grande maioria que resgata, contrata um taxidog e manda "entregar" o animal no local.
Nem todos que oferecem Lar Temporário são conhecidos no meio da proteção. 
Ninguém se preocupa em ir conhecer onde será feita a hospedagem ou mesmo acompanha como será o tratamento dispensado ao seu protegido.
Não há nenhuma exigencia de contrato de prestação de serviço, ou mesmo pedido de referencias sobre quem cuidará dos bichos.
Ninguém procura saber se quem abrigará os animais tem algum experiência de manejo ou sabe como lidar com situações que requeiram algum conhecimento para cuidar de animais muitas vezes debilitados.
Ninguém questiona o fato de que um animal retirado das ruas normalmente precisaria de um determinado tempo de isolamento e se no local haverá essa possibilidade.
E o que pode ter de pior nisso tudo: mesmo quando os locais são denunciados aqueles que devem algum tipo de favor para o proprietário do local costumam defender com unhas e dentes desmentindo denunciantes. 
Então é aí que o bicho pega e temos mais um nicho de problemas na causa!!!

As vítimas como sempre são os pobres animais indefesos.....serão eles já tão sofridos que sentirão fome, frio, medo, que ficarão no meio da imundície ou adoecerão muitas vezes de doenças que se estivessem nas ruas não contrairiam, já que no confinamento as zoonoses chegam com muito mais força.
Já tivemos exemplo recente, da protetora Ro Comunian, que oferecia Lar Temporário na periferia de São Paulo, onde dezenas de animais estavam totalmente abandonados, morrendo de fome, no meio da sujeira acumulada há semanas e até mesmo mortos. E mesmo com apelos de que  precisavam ser retirados pelos protetores que os colocaram lá,  ninguém apareceu para assumir os pobres coitados e tiveram que ser assumidos por outras pessoas.
EsquadrãoPet

 
Lar Temporário denunciado no Grajaú - SP
No caso do Santuário do Pitbull que inclusive fizemos uma postagem aqui http://goo.gl/KYLqnz e que finalmente descobriram que tudo não passava de uma grande fraude aconteceu a mesma coisa.
Apesar dos apelos para que os "protetores" buscassem saber de seus "protegidos" quase ninguém se manifestou.

Vejam abaixo essa matéria referente aos lares temporários oferecidos por uma pseudo protetora:
As redes sociais são o principal meio utilizado por protetores dos animais para ajudar cães e gatos abandonados e em situação de risco. Muitas destas pessoas, já com suas residências lotadas de animais, precisam pagar por lares temporários para abrigar bichos resgatados. Foi também pelo Facebook que uma pessoa mal intencionada passou a oferecer este serviço, recebendo por ele, mas mantendo os animais em situação precária, inclusive levando vários deles à morte, em quatro locais diferentes de Belo Horizonte e região metropolitana.



Segundo o protetor Franklin Oliveira, de 46 anos, há cerca de três meses uma mulher passou a divulgar entre os protetores espaço de hotelzinho e lar temporário para cães. "Com isso muitos resgatados foram levados para estes espaços, na casa dela, no Santa Amélia, duas casas alugadas no bairro Letícia, e um sítio em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte", contou.
Nesta quarta-feira (12), após muito insistir e não receber notícias sobre uma cachorro levado para o sítio, uma voluntária que pagava pela hospedagem resolveu ir até o local. "O vizinho tinha a chave e abriu o imóvel. Foi aí que ela se deparou com a situação terrível. Só neste de Esmeraldas haviam 45 cães e só localizamos 23 deles vivos. Tinham filhotes com cinomose, pneumonia. Todos eles estavam famintos, sem qualquer alimentação, chegando até mesmo a comer outros animais mortos", detalhou o protetor. Ossos de animais já enterrados também foram encontrados.



Diante da notícia, vários outros protetores se reuniram nesta quinta-feira (13) e foram até o local para resgatar os animais doentes. Isabela Freitas, de 42 anos, é protetora desde os 10 anos e foi uma das que ajudou no local. "Tinham animais agonizando, vários não resistiram e acabaram morrendo dentro do carro de voluntárias, a caminho de clínicas veterinária. Foi uma cena horrível de se presenciar e muitos de nós não conseguiram conter as lágrimas", destacou a mulher, que tem há 15 anos um abrigo em Contagem, com mais de 80 animais.
Os cães resgatados foram levados para diversas clínicas da capital e outras cidades da região metropolitana. "Depois que eles estiverem em condição de sair da clínica iniciaremos um trabalho para encontrar pessoas que se preocupam de verdade com estas vidas para os abrigarem", explicou Isabela.


A suspeita
Enquanto os protetores estavam no local fazendo o resgate, a mulher que ofereceu o serviço foi até lá para tentar evitar que eles fossem levados. "Queria evitar o resgate, mas assim que falamos que já havíamos feito um Boletim de Ocorrência denunciando os maus-tratos e que a Polícia Militar estava a caminho ela fugiu", contou a protetora.
Nesta quinta eles fizeram o resgate somente no terreno de Esmeraldas e, nos próximos dias, pretendem verificar como estão os animais que estão na casa da mulher e nos outros dois locais alugados por ela para abrigá-los. "Hoje já estivemos na delegacia e vamos buscar todas as medidas necessárias contra essa pessoa. Não podemos aceitar pessoas que se passam por protetores para fazer uma crueldade dessas", finalizou.

Fonte:
http://goo.gl/YWR3L2

Nota:
Se  Lar Temporário hoje se tornou um rentável negócio, nada mais correto que as autoridades competentes regulamente o para que se possa exigir qualidade dos prestadores de serviços. 
O CFMV deveria enquadrá-los na mesma categoria do hotéis para pets, hospitais, clinicas e pet shops.